Capacidade absortiva: o que é e como estimula o conhecimento?

Lucas Loconte - especialista em operação de T&D

Você sabe o que é a capacidade absortiva? Descubra o conceito deste termo e como ele funciona como agente de inovação dentro das empresas

A famosa frase do cientista Lavoisier “nada se cria, tudo se transforma” é uma excelente inspiração para as organizações. Para que ideias inovadoras ganhem espaço, é preciso reunir inspirações, mesmo que algumas sejam externas à empresa. Essa habilidade é conhecida como capacidade absortiva e diz respeito a uma série de influências que um negócio pode sofrer para criar novos projetos.

Neste artigo vamos mostrar o conceito de capacidade absortiva e quais são as dimensões que ela atinge para desenvolver uma inovação. Veja também como melhorar a tomada dessas inspirações para que elas se transformem em resultados positivos para um negócio.

Se você ficou interessado no assunto, continue aqui e acompanhe! Boa leitura.

O que é capacidade absortiva?

Capacidade absortiva é a habilidade de reunir informações sobre outros negócios e transformá-las para uso próprio. Que fique claro que essa não é uma cópia dos concorrentes, mas uma análise comportamental do mercado e o que pode complementar na formação de projetos para a empresa.

A intenção é acompanhar e coletar as informações sobre atualizações, mudanças e tendências do mercado. Com isso, é possível extrair o que há de melhor nesses dados e criar um projeto inovador para a empresa, baseado no que o público-alvo gosta de verdade. Projetos de TI são exemplos de capacidade absortiva. Os profissionais estudam códigos de programação e analisam as tendências do mercado. Com isso, eles pegam um código e constroem um sistema inovador. Para realmente dar certo é necessário fazer um processo de experimentação e ver a opinião do público.

Quais são as dimensões da capacidade absortiva?

Muitos cientistas estudam como a capacidade absortiva funciona no mercado e como elas influenciam a inovação dentro das empresas. Os estudiosos Shaker Zahra e Gerard George, que escreveram o livro Absorptive capacity: A review, reconceptualization and extension,  separam essa habilidade das empresas em 4 etapas. São elas:

Aquisição

A aquisição é o momento em que a empresa busca informações externas para criar um projeto. Os responsáveis estudam a concorrência e as ideias inovadoras que estão sendo desenvolvidas no mercado.  A intenção é encontrar uma fonte de conhecimento que sirva como inspiração e que ajude no passo inicial de um projeto.

Assimilação

Após buscar as informações no mercado, a empresa deve assimilar tudo que foi coletado e saber usufruir o que há de melhor nesse material. Mesmo que existam muitas inspirações interessantes, é preciso assimilar o que mais combina com o negócio e saber extrair para uso próprio, sem cópias.

Transformação

A transformação é uma das etapas mais importantes descrita pelos cientistas Zahra e George. Nesse momento, tudo que foi adquirido e assimilado deve ser lapidado de acordo com o objetivo de negócio da  organização, respeitando a sua identidade e colocando um pouco de cada colaborador no que é desenvolvido.

Não pode haver resquícios de outros negócios, senão a capacidade absortiva deixa de ser uma inovação e torna-se uma cópia de outro projeto do mercado.

Exploração

Agora é hora de colocar em prática tudo que a empresa captou nesse processo e analisar se os resultados vão ser positivos ou não. Nesse momento, deve-se entender o impacto da capacidade absortiva na empresa, se o processo foi feito de uma maneira saudável e como serão transformadas as informações coletadas no mercado como uma forma de inovação interna.

Como realizar o processo de capacidade absortiva nas empresas?

Para as empresas que querem colher informações externas para desenvolver um projeto inovador ou até mesmo resgatar dados internos que colaborem nessa transformação, é preciso investir em alguns pontos importantes, como:

  • Gestão de conhecimentos: é de suma importância que a organização promova o compartilhamento de um conhecimento entre todos os colaboradores, seja essas informações coletadas dentro ou fora do negócio, para que acabe com a lacuna nas habilidades e ajude a desenvolver uma inovação;
  • Feedbacks dos clientes: a coleta da opinião dos clientes é uma excelente maneira de entender o que está bom ou ruim dentro da empresa e analisar formas adequadas de desenvolver novos projetos;
  • Referências externas: é importante acompanhar as atualizações, mudanças  e tendências externas para que as informações mais importantes sejam coletadas e sirvam como inspiração para o desenvolvimento de inovações;
  • Capacitação contínua: mesmo que os funcionários da empresa já saibam sobre os processos internos, eles precisam passar por um ensino contínuo, que sempre atualize-os sobre as tendências e novas ferramentas do mercado. Essa capacitação amplia horizontes e ajuda a criar novos recursos no negócio;
  • Adaptive Learning da Skore: a capacidade absortiva também pode ser realizada com a feature de adaptive learning da Skore. Esse é um método que busca trabalhar com o conhecimento que os colaboradores já possuem, mas que podem ser atualizados ou que precisam passar por uma revisão devido à curva de esquecimento.

Conclusão

A capacidade absortiva diz respeito ao poder que uma empresa possui de usar influências internas e externas para desenvolver novos projetos. Isso não se trata de uma cópia, mas de uma transformação de próprio cunho.

É importante que as empresas usem esse método para saber quais são as principais tendências do mercado e assim criem produtos/serviços inovadores, que vão trazer bons resultados para o negócio.

Aproveite este momento e baixe também o nosso e-book sobre Onboarding de novos funcionários!

Comentários