Educação híbrida: o que é e como implementar no pós-pandemia?

João Cunha - especialista em estratégias de T&D

A educação híbrida e o pós-pandemia: saiba o que é essa modalidade de ensino, seu uso exponencialmente durante a pandemia do Covid-19 e uma aposta no “Novo Normal”

A pandemia do Covid-19 alterou completamente as relações pessoais e profissionais no mundo. Em pouco tempo, as empresas precisaram mudar o seu formato de trabalho, adotando o home office temporariamente ou permanentemente. Durante esse período, muitos treinamentos que eram aplicados de forma presencial foram feitos somente no modelo EaD. Mas agora, com a liberação gradativa de eventos presenciais, a educação híbrida se tornou uma opção interessante que deve ter uma maior aderência devido aos seus benefícios mesmo num cenário pós-pandemia.

Neste artigo, vamos discutir como funciona a educação híbrida no meio corporativo e analisar como esse modelo de ensino pode ser eficiente mesmo com o término da pandemia.

Se você ficou interessado no assunto, continue aqui e acompanhe! Boa leitura.

O que é educação híbrida?

A educação híbrida é um modelo de ensino que intercala atividades presenciais e a distância. Conhecida também como blended learning, essa modalidade teve um bom crescimento agora durante o período pandêmico. 

Mas mesmo que o crescimento tenha relação com a pandemia do Covid-19, a tendência é que a educação híbrida conquiste ainda mais espaços mesmo após esse período. Isso se deve ao mix de sala de aula convencional e conteúdos produzidos com recursos mais avançados, que prevê a criação de materiais dinâmicos e interativos.

Atualmente ainda existem alguns problemas em relação ao acesso à estrutura das aulas virtuais, como plataformas com poucas funções para estudos ou lentidão na internet, mas o propósito é melhorar essa tecnologia à medida que mais recursos surgem para investir no ensino online. 

A principal ideia do blended learning é reduzir os problemas que envolvem o deslocamento de uma pessoa para o espaço físico e a disponibilidade de horário, além de flexibilizar a modalidade de ensino. 

A educação híbrida é eficaz para as empresas?

A educação híbrida já caminhava rapidamente antes do ano de 2020 e muitas instituições, principalmente de ensino superior, já contavam com o EaD híbrido como modalidade de ensino.

Pesquisas realizadas pelo Semesp mostram que 21,7% dos alunos que tiveram aulas totalmente virtuais preferem a educação híbrida após a pandemia, o que mostra que essa modalidade foi eficaz e interessante para uma parte dos estudantes.

Dentro das empresas também é possível intercalar o ensino presencial e EaD e ajudar na aprendizagem dos colaboradores durante treinamentos ou outras ocasiões. Sobre a eficácia dessa modalidade, veja a seguir alguns pontos que comprovam que esse modelo de ensino realmente traz resultados: 

Acessibilidade

Um dos tópicos mais importantes da educação híbrida é a acessibilidade. Este não é um benefício propriamente, já que todas as empresas devem oferecer a democratização do ensino para os seus funcionários. Mas poder assistir parte dos conteúdos onde quiser, a hora que quiser e sem se deslocar para um espaço físico é um diferencial para quem trabalha.

A acessibilidade também está ligada  à forma como o  conteúdo é aplicado pelo negócio. Seja presencialmente, virtualmente em uma plataforma, por meio de smartphones, WhatsApp e outros recursos,  se o funcionário quiser apenas pegar a videoaula gravada e assistir em casa pelo celular, é possível com essa modalidade.

Mas é importante destacar que o colaborador precisa ter a ferramenta, pois caso ele não tenha, deixa de ser acessível. A empresa precisa garantir o recurso escolhido para que o funcionário possa acompanhar o treinamento.

Maior engajamento e integração entre colaboradores

Com o mix de aulas convencionais e a distância, a empresa permite que o colaborador saia da mesmice de treinamentos tradicionais e sinta-se mais engajado e integrado com o conteúdo aplicado.

Isso se deve aos recursos utilizados na modalidade a distância, como podcasts, imagens e vídeos, que transformam o material mais interessante e deixa o colaborador mais engajado. Ou também pela proximidade que os conteúdos presenciais proporcionam para o funcionário, ajudando na integração de todos.

Redução de custos

Os espaços físicos muitas vezes custam caro para o bolso da empresa e nem sempre trazem o retorno esperado quando um conteúdo foi planejado. Isso pode acontecer pois é realizada uma média de custo por aluno e quando ele deixa de frequentar as aulas, não adquire o conhecimento necessário e a instituição ainda perde o dinheiro que foi gasto para desenvolver o material para esse estudante.

Mas com a educação híbrida é possível intercalar atividades no modelo presencial e EaD, de forma que custos com um espaço físico sejam reduzidos e que as plataformas de ensino sirvam como intermédio para ensino. É preciso apenas ressaltar que deve haver um incentivo maior para que os funcionários não deixem de ir nas aulas marcadas presencialmente, já que é um número reduzido de aulas.

Acompanhamento do desenvolvimento profissional

Na educação híbrida é possível utilizar recursos como avaliações inteligentes, mensuração dos resultados dos alunos, número de aulas assistidas, além de outros recursos, que fujam dos métodos tradicionais, que são aplicados geralmente na modalidade 100% presencial

Ou seja, torna-se mais fácil avaliar o nível de aprendizagem de cada pessoa e entender se o material apresentado realmente surtiu efeito. Nas plataformas digitais de ensino é possível encontrar algumas ferramentas que ajudam nisso, como: 

  • Frequência da pessoa nos treinamentos;
  • Notas tiradas nos testes;
  • Mensuração sobre a participação ativa de um funcionário com base nas perguntas realizadas, comunicação durante aplicação do conteúdo e avaliação.

Possibilidade de usar diferentes tipos de treinamento

A educação híbrida se torna ainda mais eficaz e benéfica para o ensino corporativo devido às possibilidades de aplicação em treinamentos. Por exemplo, é possível que em um dia você faça a gamificação de um conteúdo apresentado virtualmente e nos outros aplique uma prática de microlearning presencialmente.

Com isso, é possível sair de moldes engessados, que muitas vezes geram desinteresse entre os colaboradores. 

Viabilização de uma cultura de aprendizado contínua

O aprendizado contínuo é o sentimento que o colaborador deve carregar durante toda a sua carreira, que estimula procurar novos conhecimentos e desenvolver novas habilidades na sua área de atuação. Mesmo que você já tenha ensino superior e outras formações, aprimorar-se cada vez mais é importante para ficar atualizado com o mercado.

A educação híbrida viabiliza essa cultura de aprendizado contínuo, uma vez que oferece diferentes metodologias e recursos nas duas modalidades: online e presencial. O colaborador pode acompanhar materiais de multimídia virtualmente, enquanto no treinamento presencial faz debates com outros colegas de trabalho.

Fugir do comum e investir em ferramentas que ajudem no desenvolvimento, além de mostrar a importância de sempre buscar crescer profissionalmente, é uma prática que pode ser aplicada por meio da modalidade híbrida. Em outras também é possível, mas essa viabiliza mais recursos para estudos. 

Melhores resultados para a área de T&D da empresa

Com a reunião de todos esses benefícios, como redução de custos na aplicação do treinamento, aprendizagem contínua, diferentes ferramentas metodologias e recursos, entre outros, o time de T&D consegue investir o seu máximo no aprimoramento dos funcionários e assim colher resultados melhores.

Quanto maior for a possibilidade de economizar, mas ao mesmo tempo investir pesado na formação de todos, certamente o retorno será mais evidente.

Como implementar o ensino híbrido no meio corporativo?

Se você faz parte do time de RH (Recursos Humanos) ou T&D (Treinamento e Desenvolvimento) e está interessado em aplicar a educação híbrida no meio corporativo, existem duas formas de implementá-la:

  • Modelo Síncrono: com recursos inovadores, como fóruns de discussão e atividades lúdicas, o modelo síncrono busca aproveitar a presença de colaboradores e tutores para gerar uma interação e desenvolver novas habilidades por meio desse trabalho em grupo. Na modalidade híbrida, é possível fazer essa dinâmica presencialmente e virtualmente, com base nas informações sobre um grupo de colaboradores;
  • Modelo Assíncrono: também com recursos inovadores, como plataformas para web ou mobile, o modelo assíncrono busca entregar um conteúdo personalizado para cada colaborador. A aplicação na educação híbrida pode ocorrer com métodos de multimídia de forma virtual, enquanto presencialmente outras estratégias são usadas.

Conclusão

A educação híbrida é uma excelente opção de ensino para as empresas. O cenário pós-pandemia prevê mudanças nos modelos presenciais e um avanço do uso de treinamentos que ocorrem de forma híbrida. 

Mesmo que essa modalidade fosse mais comum em universidades, os responsáveis pela elaboração de capacitações e outras ocasiões devem prestar atenção nessa opção de ensino e estudar se vale a pena investir dentro da empresa.

Se você ficou interessado nesse modelo de ensino, conheça a Skore! Somos uma plataforma especializada em multiexperiências e oferecemos aprendizagem de qualidade para a sua empresa.

Para saber mais, conheça as nossas soluções agora mesmo!

Comentários