Millennials: como adaptar o treinamento à essa nova geração?

Lucas Loconte - especialista em operação de T&D

Como treinar uma geração que está a um um clique de qualquer informação? Continue lendo e descubra como adaptar o T&D aos millennials

Os Millennials ou Geração Y gostam de fazer as coisas de um jeito diferente. Nascidos entre 1980 e 1995, este grupo de pessoas cresceu durante uma das maiores revoluções tecnológicas da humanidade: a chegada da internet, um fator que mudou drasticamente as relações de consumo, as relações interpessoais e as relações de trabalho. 

Marcados pela forte ligação com a tecnologia, pela busca por equilíbrio entre vida pessoal e profissional, pelo imediatismo e por serem consumidores exigentes, a Geração Y exige grandes mudanças no modo com que as empresas lidam com os funcionários. 

A pergunta que fica é: como treinar os millennials, pessoas que estão a um clique de responder qualquer dúvida e encontrar qualquer informação? Continue lendo e descubra. 

Novos modelos de trabalho e treinamento 

Diferentemente das gerações anteriores, no qual o trabalho tomava boa parte da vida das pessoas, os millennials estão em busca de oportunidades nas quais a vida profissional e pessoal se equilibram. Isso gera atritos. 

As gerações passadas, que estão nos cargos de comando, podem enxergar os mllennials como descomprometidos e preguiçosos. No entanto, essa não é a realidade. 

Esta é uma geração focada em resultados e não em processos. Os millennials são extremamente compromissados, mas seu trabalho não se restringe ao ambiente em que ele está. Por isso, empresas que permitem uma flexibilidade nos modelos de trabalho têm sido cada vez mais atrativas para essa nova geração.

Quando olhamos para o treinamento, essa flexibilidade e poder de escolha também precisa ser levada em conta. O segredo está em entregar o conhecimento certo, da forma certa, quando e onde o colaborador mais precisa. 

Mobile learning, machine learning e chatbots para treinamento são algumas das alternativas que se propõe a atender essas necessidades de aprendizado desse público de forma mais personalizada e flexível. 

Criação de propósito

Mais do que dinheiro ou uma carreira sólida os millennials estão preocupados com o propósito do que fazem, seja no trabalho ou no aprendizado. 

Segundo o estudo realizado pela consultoria Deloitte (Deloitte Global Millennial Survey 2019), 46% da geração millennial tem como prioridade gerar um positivo impacto na sociedade. Este, e outros dados mostram que o propósito é um fator que não pode ser desconsiderado pelas empresas. 

Torna-se necessário mostrar para essa geração o propósito do que eles fazem e que impacto estão gerando com aquilo. Mais do que com dinheiro, os millennials estão preocupados com os valores que governam as empresas e que impacto as organizações estão gerando no mundo. 

Isso se reflete, também, no comportamento de aprendizado da Geração Y. Os treinamentos e conhecimentos a serem passados precisam, mais do que nunca, ter um significado prático para os colaboradores. 

O T&D precisa mudar a sua ótica de construção de treinamentos e olhar, não apenas para como o funcionário pode contribuir para a empresa, mas também para como a empresa pode contribuir para o desenvolvimento individual de cada pessoa.  

Desenvolvimento e aprendizagem

Ainda sobre a pesquisa da Deloitte, 35% do millennials saem dos empregos por falta de oportunidade de crescimento e 28% por falta de oportunidades de aprendizado. 

Apesar do imediatismo, uma forte característica dos millennials, é possível notar que existe uma busca por desenvolvimento e aprendizagem. Porém, não se trata apenas de aprender, a Geração Y busca um aprendizado que seja flexível e que os motive a continuar.

Além disso, é importante ressaltar que os millennials estão em busca de desenvolvimento e aprendizado não apenas pelo crescimento em si, mas para aumentar o impacto do trabalho que eles realizam. 

Aprendizagem: como motivar os millennials?

Essa pode parecer uma pergunta muito difícil, mas não é. A chave para motivar os Millennials está na inovação e no significado do conhecimento.  

A Geração Y cresceu utilizando computador, internet e aparelhos tecnológicos. Diferente das gerações passadas, eles viveram com acesso a milhares de informações e conteúdos, respostas que estão a um clique de distância. É preciso ter isso em mente para construir experiências de aprendizado que realmente gerem engajamento. 

Mudança de gerações requerem mudanças de perspectivas, e o que funcionou no passado não vai funcionar no futuro. Não se trata de replicar os cursos presenciais nas plataformas online, é preciso mudar toda a abordagem do T&D desde o objetivo dos programas até a qualidade do conteúdo. 

Como o seu conteúdo se diferencia dos milhares que estão na internet? O treinamento possui um objetivo realmente estratégico? Ele significa só um ponto do checklist de atividades do colaborador ou tem um “porquê”? 

Algumas técnicas de treinamento:

Quando falamos na Geração Y, existem alguns modelos de treinamento que conversam mais diretamente com as necessidades de aprendizado desse público. Dentre elas temos:

1. Microlearning

O microlearning é uma técnica de aprendizado que tem como objetivo o treinamento de uma habilidade específica em um tempo curto. Diferentemente, dos cursos divididos em módulos o microlearning foca na execução de atividades específicas de forma rápida.

Apesar dos millennials gostarem de aprender, o tempo de concentração dessa geração é curto devido os estímulos tecnológicos que eles recebem. Portanto, técnicas de aprendizagem de curta duração tornam a aprendizagem muito mais efetiva.

2. Gamificação

Outra forma de ganhar engajamento dos millennials é através da gamificação. Como o nome já sugere, a gamificação é uma técnica que tem como objetivo transformar o aprendizado em um jogo, com níveis, desafios, pontos e recompensas.

Esse tipo de técnica ganha destaque com essa geração, porque há sempre um desafio novo para ser cumprido, deixa o usuário animado com um novo objetivo e com a possibilidade de concluir todos os desafios.

3. Chatbot para treinamento

O uso de chatbots para treinamentos é, sem dúvidas, um grande aliado no processo de educação da Geração Y. Essa tecnologia reúne algumas das características mais relevantes para os millennials: a interatividade, a personalização e o poder de escolha. 

Além de se conectar diretamente com este público, os chatbots para treinamentos permitem que as empresas individualizem as experiências de aprendizado de forma escalável, entregando o conteúdo que o usuário precisa, em qualquer hora ou lugar. 

4. Treinamento informal

O empoderamento dos millennials no processo de aprendizagem conversa diretamente com a busca pelo “poder de escolha” dessa geração.

Dar autonomia e responsabilidade para o usuário, deixando ele decida quais conteúdos acessar e o que ele julga importante aprender para sua carreira é uma das melhores formas de gerar engajamento e entusiasmo por parte da Geração Y. 

No entanto, isso tem que ser feito com cuidado. É importante sempre instruir o usuário nos objetivos da empresa e naquilo que a empresa acredita ser o essencial para ele.

Conclusão: como se adaptar aos millennials?

Com a chegada dos millennials, o mercado de trabalho e educação corporativa tem sido abalado pelo atrito entre diferentes gerações. Cada vez mais os desafios relacionados à aprendizagem e treinamento vão surgir. 

Torna-se necessário uma maior atenção dos gestores para engajar e incentivar esses novos públicos, sem deixar de lado as gerações anteriores. É preciso mudar a abordagem do T&D e contar com a tecnologia para construir experiências que se adaptem ao perfil de cada público.

Comentários